sábado, 10 de maio de 2008

O que não tem remédio...



Agora são os tapetes a ocupar os meus dias, sem deixar tempo para leviandades como a blogosfera.



Saio de casa às 8 e pouco da manhã, e só saio do trabalho quase sempre depois das 20h, com um intervalo de 2 horas (era escusado) para almoço...
Hoje de manhã vi-me obrigada a ir trabalhar umas horitas para conseguir organizar aquela bagunça e, sem telefones, conseguir concentrar-me nas coisas.
Ando mais morta que viva, pois quando chego a casa à noite, ainda tenho de ir fazer o jantar que se transformou em ceia, pois ocorre sempre por volta das 22h.
Tudo isto para justificar a continuação da paragem deste espaço, embora já se tenham habituado, mas é também para reiterar o meu pedido de desculpas pela ausência dos vossos espaços...

quarta-feira, 19 de março de 2008

Está tudo pronto

O ano passado, recebemo-lo assim e este ano não será muito diferente




As obras na casa do forno estão prontas, para que se asse o anho como manda a tradição no dia em que se "beija o Senhor"



as portas abrir-se-ão num corropio de panos, caçoilos de barro e tabuleiros, cheios das melhores iguarias e, descaradamente cometemos o pecado da gula...



Dá jeito ter um forno deste tamanho, quando a família lhe faz jus...



Uma Páscoa Feliz é o que desejo a todos vós, em boa companhia e com muita paz e harmonia (olha, até rimou...)

sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

Velhos tempos...



Andávamos sempre os 3, nesta tal Honda 175 de que falei no post anterior; eu atrás, a minha amiga no meio e o meu marido a conduzir, quando estávamos na praia passávamos a vida na bomba a pôr ar nos pneus quando vínhamos para o alcatrão, pois havia-mo-lo tirado, para poder andar na praia e até chegámos a ir ao banho com ela, numa noite de loucura, encavalitámos mais dois amigos (e vão 5, não sei como coubemos) em cima dela,e toca de ir "rasgar" na rebentação do mar...
Até dói quando penso, que foi há 28 anos atrás...

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008

E vão 5...



...reparem na elaborada suspensão e no pormenor da sacola de lado...
este foi o último "chaço" que o meu marido comprou quase dado, ou seja: trocou-o por algumas peças auto...o verde não é por acaso, foi um modelo importado no início dos anos 70 para o exército. A inquietação está a ser legalizá-la, já tem uma matricula daquelas com "K" e tem de mudar, já fez uma inspecção e agora tem de ir fazer outra ao ruído, e ainda por cima no aeródromo de Mortágua, que aqui em Cernache já não se fazem, lá tem ele de lhe abafar um bocado o pio e trancar o acelerador, pois tem de passar numa recta em aceleração frente ao medidor...já viram estas paneleirices para uma peça de colecção que nem sequer vai quase circular, há-de ir depois para a quinta para andar no fim-de-semana.
E com esta já são 5 motas das quais só 2 são recentes, agora está a acabar de montar a Honda 175 Scrambler com a qual o conheci, onde costumávamos andar 3 pessoas ao mesmo tempo, pois aos 17 anos os amigos são inseparáveis e a minha amiga na altura era namorada dele...



...e como teria que ser numa coisa forte e feia, tem um nome a condizer: Sachs Hercules...
Se alguém estiver interessado numa carga de trabalhos, por aí umas à venda